Presos do Estado de São Paulo iniciam curso sobre Educação para a Paz

23/03/2021 05h20 Na região de Prudente, CDP II de Pacaembu iniciará as aulas na próxima segunda-feira.
Por O Imparcial, São Paulo - SP
Presos do Estado de São Paulo iniciam curso sobre Educação para a Paz .

Desde o começo do mês, 215 sentenciados do Estado de São Paulo iniciam um projeto piloto internacional denominado Educação para a Paz. Nesta semana, 165 deram início e outros 50 iniciarão na segunda-feira, sendo 25 sentenciados do CDP (Centro de Detenção Provisória) de Pacaembu.

Inicialmente realizado de forma presencial, o conteúdo foi adaptado ao formato remoto para aplicação durante o período de pandemia de Covid-19, garantindo a continuidade das atividades e minimizando os riscos de transmissão do vírus pela entrada de agentes externos nas unidades prisionais. 

O curso será ministrado por ensino à distância, através de vídeos gravados (off-line), com formação de pessoas privadas de liberdade para a mediação do processo educacional e adaptação de todos os trâmites de documentação para o formato digital. 

A ação é resultado de uma parceria entre a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) via Funap (Fundação “Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel”) e SATPR (Sociedade de Apoio ao Conhecimento e Paz Interior) representante da The Prem Rawat Foundation no Brasil.  

O que é apresentado

O Projeto Educação para a Paz é composto por uma série de workshops que ajudam pessoas a descobrir a própria força interior e paz pessoal, através de vídeos com trechos de apresentações inspiradoras do renomado autor Prem Rawat sobre dez temas centrais: paz, apreciação, força interior, consciência de si mesmo, clareza, entendimento, dignidade, escolha, esperança e contentamento.

O projeto possui um total de 24 horas, divididas em três encontros semanais de 4 horas diárias, durante duas semanas.  Num primeiro momento, o sentenciado assiste ao conteúdo da videoaula. Tendo em vista a pandemia atual da Covid-19, não haverá a participação presencial de agentes da Palavra de Paz dentro da unidade. Portanto, após a exibição dos vídeos, haverá mediação e debate realizados por um monitor reeducando. 

Em seguida, cada reeducando preenche seu próprio caderno do aluno, que contém um relatório onde informará suas considerações sobre cada tema abordado, seguindo um roteiro de perguntas. Ao final, estes cadernos serão encaminhados digitalmente à Funap, para posterior avaliação individual e emissão de certificados.

Unidades participantes 

Para a primeira turma de março, foram selecionadas duas unidades pilotos em cada coordenadoria. São elas: 

Coordenadoria Noroeste – Centro de Detenção Provisória “Asp. Sandro Alves da Silva” de Serra Azul e Penitenciária Feminina “Sandra Aparecida Lario Vianna” de Pirajuí;

Coordenadoria Central – Penitenciária Feminina de Campinas e Penitenciária de Mairinque; 

Coordenadoria do Vale e Litoral – Penitenciária I Masculina de Tremembé e Penitenciária II Feminina de Tremembé; 

Coordenadoria Metropolitana – Penitenciária Feminina de Sant’Ana e Penitenciária de Parelheiros;  

Coordenadoria Oeste – Centro de Detenção Provisória de Nova Independência e Centro de Detenção Provisória II de Pacaembu (os quais iniciarão as aulas em 22/03).

Comente, sugira e participe:

Cadastre seu WhatsApp e receba notícias diariamente pelo celular