Polícia Militar de Osvaldo Cruz detém jovens por explosão de bombas próximo ao TG

09/07/2019 10h10 - Atualizado em 09/07/2019 10h16 Dois atiradores, um rapaz e mais duas adolescentes se envolveram na ocorrência.
Redação - Acally Toledo, Osvaldo Cruz - SP
Polícia Militar de Osvaldo Cruz detém jovens por explosão de bombas próximo ao TG .

A Polícia Militar de Osvaldo Cruz foi acionada na madrugada desta terça-feira (09) para comparecer ao Tiro de Guerra da cidade, onde segundo os atiradores que estavam de guarda, teria ocorrido explosões na área de segurança do TG.

Os atiradores informaram que visualizam indivíduos no interior do Centro Comunitário da Vila São José, local vizinho ao quartel, além de um veículo Fox de cor prata nas proximidades.

Imediatamente a equipe policial se deslocou ao local e na Rua Manoel dos Santos, policiais viram uma explosão e diversos indivíduos correndo pela via.

Pensando se tratar de roubo ao paiol do quartel, foi realizada abordagem de maneira enérgica, a cinco indivíduos:  dois dos rapazes foram reconhecidos como atiradores do TG, sendo eles P.M.R.N. e H.L.V.M., Um outro indivíduo maior de idade R.O.P. e as adolescentes A.L.C.O. e I.DA S.M. A guarda do Tiro de Guerra se fez presente e reconheceram dois dos abordados como militares do efetivo de atiradores do TG de Osvaldo Cruz.

Durante busca pessoal nada de ilícito foi encontrado com os abordados. 

Questionados, o atirador P.M.R.N. disse que foi até o Centro Comunitário com um Ford KA. Em vistoria ao veículo a PM encontrou uma caixa com dez bombas (fogos de artifício).

Já H.L.V.M. informou que foi até as proximidades do Tiro de Guerra com o Fox visto pelo atirador de guarda. Dentro do carro a PM localizou uma faca de pesca.

O Centro Comunitário foi vistoriado e nenhum dado foi constatado no local.

Os atiradores da guarda fizeram contato com o comandante do Tiro de Guerra, Sargento Saulo Henrique Lima Santos, que se fez presente no local da abordagem e tomou ciência do envolvimento dos militares nas explosões.

A ocorrência foi apresentada ao delegado Dr. Iuri Munhoz Silveira. Um atirador, L.F.L. foi testemunha do caso e declarou que ouviu explosões durante o turno de guarda e viu indivíduos no centro comunitário, também fez a solicitação da Polícia Militar bem como acompanhou a abordagem e elaboração da ocorrência.

P.M.R.N. declarou que fez a compra das bombas e convidou os demais envolvidos para realizar as explosões no entorno do quartel. H.L.V.M. confirmou a versão bem como disse que participou das explosões. R.O.P. também confirmou a versão e destacou que participou das explosões.

Foi solicitada a presença do Conselho Tutelar para as menores e posteriormente os pais se fizeram presentes na delegacia tomando ciência do fato.

O superior hierárquico dos atiradores, Sargento Saulo acompanhou toda elaboração da ocorrência.

Foi elaborado Boletim de ocorrência de elaborado de averiguação e todos foram liberados. 

Os explosivos e a faca ficaram apreendidos.

Comente, sugira e participe:

Cadastre seu WhatsApp e receba notícias diariamente pelo celular