Energia fica, em média, 1,30% mais cara na região; residências terão queda de 0,59% na tarifa

10/07/2019 05h13 - Atualizado em 11/07/2019 08h23 Segundo a Energisa, redução do valor para a maioria dos clientes deve-se a ganhos de gestão e eficiência e ao fim dos chamados "encargos setoriais".
Por G1, Presidente Prudente - SP
Energia fica, em média, 1,30% mais cara na região; residências terão queda de 0,59% na tarifa .

A conta de energia, na média, vai ficar mais cara na região de Presidente Prudente.

Nesta terça-feira (9), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um reajuste médio de 1,30% para os clientes da Energisa, concessionária que atende cidades do Oeste Paulista.

O aumento no preço da tarifa começa a valer a partir desta sexta-feira (12).

A empresa fala em "reajuste médio" porque há duas categorias de cobrança: baixa tensão (residências, na maioria) e alta tensão (indústrias).

Para a maioria dos clientes, da categoria residencial e que representa 85% dos consumidores da Energisa, haverá redução no valor, na ordem de 0,59%. Se computadas as outras categorias (indústria, comércio, serviço público, iluminação pública e áreas rurais), o aumento médio será de 1,30%.

Para a indústria, por exemplo, o aumento será de 4,10%.

Em todo o Estado de São Paulo, a Energisa atende 82 municípios, sendo 24 no Oeste Paulista.

Nessas 24 cidades atendidas na região de Presidente Prudente a Energisa tem 260 mil consumidores – 217 mil são clientes residenciais (85% do total).

A concessionária, em nota, informou que são dois os motivos para a redução do preço da tarifa para a maioria dos clientes.

Um deles, é o ganho de eficiência e gestão, que segundo o contrato de concessão, precisa ser compartilhado com os consumidores.

O outro motivo da diminuição do preço são os chamados "encargos setoriais", já que chegou ao fim o recolhimento da cota "Conta de Desenvolvimento Energético Energia e ACR, que tiveram, como alguns dos seus fins, compensar o efeito de não adesão de algumas geradoras à proposta de prorrogação antecipada do contrato de concessão, ocorrida em 2013.

"O reajuste de tarifa é um processo regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), previsto no contrato de concessão da empresa. Pela norma, o valor da tarifa poderá ser reajustado anualmente – o chamado Reajuste Tarifário Anual – e a cada cinco anos, no processo de Revisão Tarifária Periódica", cita em nota, a Energisa.

No Oeste Paulista, a Energisa atende nos seguintes municípios: Adamantina, Alfredo Marcondes, Álvares Machado, Caiabu, Caiuá, Emilianópolis, Iepê, Indiana, Inúbia Paulista, João Ramalho, Lucélia, Martinópolis, Nantes, Osvaldo Cruz, Parapuã, Piquerobi, Pracinha, Presidente Bernardes, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rancharia, Regente Feijó, Ribeirão dos Índios, Sagres, Salmourão, Santo Anastácio e Santo Expedito.

Comente, sugira e participe:

Cadastre seu WhatsApp e receba notícias diariamente pelo celular