Setembro Amarelo: O ato de tirar a vida na visão das religiões

10/09/2018 04h49 - Atualizado em 12/09/2018 09h16 A reportagem do Portal Metrópole de Notícias buscou informações sobre como as religiões lidam com o assunto.
Redação - Acally Toledo, Osvaldo Cruz - SP
Setembro Amarelo: O ato de tirar a vida na visão das religiões .

O suicídio é considerado um problema de saúde pública e mata um brasileiro a cada 45 minutos e uma pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. 

Apesar de números tão alarmantes, o assunto é evitado e tratado como tabu, o que só colabora para o aumento dos casos, pois as pessoas muitas vezes não sabem que podem procurar ajuda. Segundo a Organização Mundial da Saúde, existe prevenção em mais de 90% dos casos de suicídio.

A Reportagem do Portal Metrópole de Notícias e Rádio Metrópole FM buscou informações e realizou entrevistas com pessoas ligadas à religião, que focam que o principal é que a pessoa busque ajuda e que, se precisar de um apoio espiritual, estão todos prontos para auxiliar.

Em entrevista à reportagem do Portal Metrópole de Notícias, o Pároco da Paróquia de São José de Osvaldo Cruz, Padre Rogério Mendes, destacou a importância de todos estarem envolvidos com o movimento 'Setembro Amarelo'. "Para a igreja, setembro é o mês dedicado à palavra de Deus, mês da Bíblia. E a sociedade tem promovido nos meses de setembro, o Setembro Amarelo chamando a atenção para o Suicídio. Lamentavelmente esta é uma realidade muito presente na sociedade nos dias de hoje. Suicídio é um ‘não’ à vida e a Igreja defende a vida do nascimento até a morte natural. A vida é um dom de Deus, um presente para que possamos apreciar com alegria e respeito. O Suicídio é um ato desesperado de alguém que diz não à vida, porém a Igreja age com misericórdia. A campanha é muito oportuna e necessária onde todos nós estamos comprometidos para defender esse Dom de Deus que é a vida.", disse.

Jesus Ross, Pastor da Igreja Presbiteriana Independente de Rinópolis, também falou sobre assunto com a nossa reportagem. "É muito importante essa iniciativa de abordar a questão que já é absolutamente preocupante no mundo todo e aqui em nossa região também. Quais seriam as questões que levam uma pessoa a pensar em tirar a própria vida. Pra essa pessoa, os problemas e sofrimentos que ela está passando são reais, são problemas que existem e que pra ela são muito grandes. Perder um grande amor, uma dívida que se torna quase impagável, cobranças sem fim, uma doença que a pessoa pensava que já havia sido controlada e de repente volta mais forte, o sentimento de solidão, de estar sozinho, abandonado, a sensação de que ninguém a escuta, lhe dá as mãos, os sonhos roubados, enfim, são muitos os momentos que empurram a pessoa e as leva a entender que somente o suicídio é a saída. Quando esses pensamentos chegam à cabeça de uma pessoa, quando ela não enxerga mais nenhuma saída, ela acaba pensando que tirar a própria vida é a solução dos seus problemas e sofrimentos. Não! Não é a solução! Nem pra você e nem pra quem está a sua volta. A solução passa por um relacionamento pessoal com o Senhor Jesus Cristo. O mundo, o próprio inimigo, ele quer fazer com que você tenha a mentalidade, a ideia de que você é uma pessoa derrotada e que ninguém vai se importar se você se for. Mas isso não é verdade. Há muitas pessoas que amam você, que apostam em você, que acreditam em você, e Jesus acima de todas elas, te ama infinitamente mais. Jesus se importa com seu cansaço, com suas lutas, com suas lágrimas e cuida de você o tempo todo. Em Mateus 11:28-30 Jesus disse: 'Venham à mim todos que estais cansados e sobrecarregados e eu lhes darei descanso.', mas isso, é um descanso em vida. E ele segue dizendo: 'Tome sobre vocês o meu julgo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração. Vocês encontrarão descanso para suas almas pois meu julgo é suave e meu fardo é leve.'. Nós sabemos que as vezes é mais fácil olhar para os problemas, mas a fé em Deus deve ser maior que tudo isso. Não tenham medo de Jesus, pois Ele está preocupado demais com tua saúde mental, física, e Ele pode te ajudar. Ele usará pessoas próximas a você para te ajudar também e é muito importante que você converse, que você compartilhe, desabafe com alguém. Sua vida é valiosa! Troque esses pensamentos de morte por pensamentos de esperança, de vida. Busque alívio naquilo que você ama e procure ajuda de pessoas confiáveis que vão te dar apoio. Busque Jesus Cristo que já morreu por você. Você não precisa morrer para resolver tudo. Pense com carinho em você!", finalizou.

Amir Zina, do Centro Espírita Allan Kardec da cidade de Lucélia, falou da visão do espiritismo sobre o suicídio. "Nós somos almas imortais criadas por Deus e como Deus é o criador da vida, só a Ele pertence o poder de dar e tirar a vida de uma pessoa segundo os Seus critérios e de acordo com a evolução espiritual de cada ser. O atentado contra a própria vida, seja qual for o motivo, é crime perante as leis de Deus. Como a vida continua após a morte, uma vez que o espírito passa a viver em outra dimensão espiritual, o suicida em vez de ver terminadas as suas dores ou sofrimentos, esse ato impensado produz resultados terríveis para a alma, que passa a sofrer muito, tendo tormentos aumentados ao invés de diminuir. Quando temos comunicação com um espirito suicida, ele narra com detalhes o seu sofrimento e se arrepende tardiamente do seu impulso em tirar a própria vida. Mas como Deus é misericórdia e amor incondicional, o suicida não fica desamparado, ele recebe todo o amparo necessário para a sua recuperação em novas oportunidades reencarnatórias. Seja qual for a dor e o sofrimento, angústias pelas quais um ser passa, a eliminação do corpo físico é um grave engano e, no lugar de solucionar seus problemas, os mesmos são agravados. Portanto é importante que a pessoa que passa por algum tipo de problema, procure ajuda de especialistas na área da medicina, principalmente psicologia e psiquiatria, bem como o apoio das religiões, uma vez que a fé em um Ser Supremo, nos dá forças e condições para superar obstáculos.", destacou.

Movimento 'Setembro Amarelo'

Iniciado em 2015, o Setembro Amarelo é um movimento mundial que veio para conscientizar a população sobre a realidade do suicídio e mostrar que existe prevenção em muitos dos casos.

Sobre o CVV - www.cvv.org.br 

O CVV - Centro de Valorização da Vida - é uma entidade sem fins lucrativos que atua gratuitamente na prevenção do suicídio desde 1962 e está engajada promovendo atividades neste movimento iniciado há dois anos no Brasil, chamado Setembro Amarelo. A ideia é divulgar a causa intensamente durante o mês para lembrarmos que devemos, sim, falar sobre a prevenção do suicídio.

Comente, sugira e participe:

Cadastre seu WhatsApp e receba notícias diariamente pelo celular